(11) 4438-8922

A prévia da inflação de junho atingiu 0,69%, alta de 0,10% em relação a maio (0,59%). No ano, o IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15) chegou a 5,65%, e no dos últimos 12 meses, totalizou 12,04 % (abaixo dos 12,20% anteriores).

No acumulado do trimestre (IPCA-E), a taxa foi de 3,04%. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), todos os grupos de produtos e serviços analisados tiveram alta de preços em junho. No entanto, o resultado final foi influenciado pelos aumentos nas passagens aéreas (+11,36%), de Vestuário (variação de 1,77%) e dos planos de saúde (+2,99%).

Regionalmente, a prévia da inflação de São Paulo chegou a 0,79%, acima da média nacional. No acumulado dos últimos 12 meses, o IPCA-15 paulista foi de 12,01%, e o IPCA-E ficou em 2,96%. Importante destacar que o Estado tem peso regional de 33,45% no resultado geral. 

Para saber mais, clique aqui.

Na noite desta sexta-feira (24), serão anunciados os vencedores da terceira edição do Prêmio Paulista de Excelência Gráfica Luiz Metzler. A cerimônia de premiação está prevista para às 18h30, na Escola Senai Theobaldo De Nigris, em São Paulo.

O evento é realizado pela Abigraf-SP (Associação Brasileira da Indústria Gráfica Regional São Paulo), e homenageia Luiz Metzler, o "diplomata das Artes Gráficas". O Prêmio foi criado para reconhecer os melhores trabalhos da indústria de impressão do Estado de São Paulo. 

Puderam inscrever seus trabalhos gráficas, editoras, agências de publicidade, designers e anunciantes paulistas, em 32 categorias distintas: Promocional, Editorial, Impressos de Segurança, Comercial, Embalagens, Rótulos e Etiquetas, Comunicação Visual (sinalização), Impressos em Rotativa Offset e Produtos Próprios. A avaliação dos produtos ficou a cargo de especialistas em Artes Gráficas da Faculdade de Tecnologia Senai Theobaldo De Nigris. 

A data da cerimônia é especial para o segmento. Neste 24 de junho, comemora-se o Dia da Indústria Gráfica.

A ASSINGRAFS e o SINGRAFS são apoiadores institucionais do 3º Prêmio Luiz Metzler.

O ICEI (Índice de Confiança do Empresário Industrial) do setor de Impressão e reprodução de gravações avançou 60,9 pontos em junho (alta de 3,4 em relação a maio). O indicador deste ano superou o do mesmo período de 2021, quando atingiu 59,6 pontos. Os dados foram divulgados pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) nesta quinta-feira (23).

O segmento está entre os cinco mais confiantes do período, ficando atrás de Produtos diversos (61,7) e Calçados e suas partes (61,6). Celulose, papel e produtos de papel também seguiu a alta, passando de 55,1 pontos, em maio, para 58,6 no mês subsequente (+3,5). Em junho do ano passado, a pontuação era de 60,8 pontos (-2,2).

Dos 29 setores analisados, 20 registraram aumento da confiança do empresariado industrial. Em oito, houve recuos, com destaque para Biocombustíveis (-2,3 pontos, totalizando 57,9 pontos); e apenas um não teve variação (Manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos, com 60,3 pontos).

O resultado da Indústria da Transformação chegou aos 58,3 pontos em junho (alta de 1,7 pontos em relação a maio, e queda de 3,3 pontos frente ao mesmo período de 2021, quando atingiu 61,6 pontos). 

O Índice de Confiança do Empresário Industrial é utilizado para antecipar o desempenho da indústria brasileira, e sinaliza mudanças de tendência da produção industrial. Para saber mais sobre a pesquisa, clique aqui.

Na última terça-feira (21), a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou reajuste nas bandeiras tarifárias das contas de luz para o período de 1º de julho deste ano até junho de 2023. De acordo com a Agência Brasil, os aumentos variam de 3,2% a 63,7%, de acordo com o tipo de taxa extra incidente na conta de luz.

A justificativa para o aumento é a adequação à alta da inflação e o maior custo de utilização das usinas termelétricas neste ano, acionadas em períodos de seca ou de crise hídrica.

Em comunicado, a Agência informou que, na próxima sexta (24), anunciará a bandeira tarifária a ser adotada em julho. Atualmente, as contas de luz vêm com a bandeira verde, que não gera cobrança adicional.   

As taxas extras sinalizam o "custo real" da geração de energia, proveniente, em grande parte, das usinas hidrelétricas.

Veja, a seguir, quais serão os novos preços das bandeiras tarifárias:

  • Bandeira verde: sem custo adicional;
  • Bandeira amarela: passará de R$ 1,874/100 kWh para R$ 2,989/100 kWh (+59,5%);
  • Bandeira vermelha patamar 1: de R$ 3,971/100 kWh para R$ 6,500/100 kWh (+63,7%);
  • Bandeira vermelha patamar 2: de R$ 9,492/100 kWh para R$ 9,795/100 kWh (+3,2%).

 

 

Fontes: Agência Brasil, Aneel.

Em abril, o PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro teve crescimento de 0,3%. No trimestre móvel encerrado no mês, o aumento foi de 2,8%. E na comparação com o mesmo período do ano passado, a variação foi de 3,6%. É o que mostrou o Monitor do PIB-FGV, divulgado nesta terça-feira (21) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV IBRE).

A alta da atividade econômica ocorre pelo terceiro mês consecutivo, porém “a uma taxa menor que as anteriores”. Segundo o levantamento, o resultado de abril foi impulsionado pelo crescimento da agropecuária e da indústria. Ainda de acordo com o Monitor, o setor de serviços “parou de contribuir para o PIB da mesma forma que vinha contribuindo, principalmente devido à retração de comércio e transporte”.

As exportações tiveram alta de 1,5% no trimestre móvel encerrado em abril, e as importações registraram queda de 8,2% no período. 

O PIB representa a soma de todos os bens e serviços produzidos no país. Em valores monetários, o acumulado até abril deste ano ficou em 2 trilhões, 987 bilhões e 507 milhões de reais. Para saber mais, clique aqui.

Ao longo dos seus 25 anos de existência, o SINGRAFS vem lutando em prol do fortalecimento do segmento gráfico no Grande ABC e na Baixada Santista.

Para tal, firmou parcerias importantes com a ABTG, a Abigraf-SP, Zênite Sistemas e Up Brasil, para oferecer aos seus associados serviços que os permitam realizar cursos de aprimoramento, utilizar softwares de gestão gráfica com desconto, entre outros. 

Para conhecer todos os nossos serviços e benefícios, clique aqui e aqui

Na última quarta-feira (15), o Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central decidiu, por unanimidade, aumentar a Selic para tentar conter a alta da inflação no país. A taxa básica de juros subiu de 12,75% para 13,25% ao ano.

Esta é a maior porcentagem desde 2016 e o décimo primeiro aumento consecutivo. Entre as justificativas para a decisão, estão as “revisões negativas para o crescimento global”, o cenário inflacionário internacional, que interfere nos investimentos aportados no Brasil, e nacional (alta crescente de preços ao consumidor e previsões para inflação deste ano e os próximos acima da meta).

A Selic é utilizada para calcular a rentabilidade de investimentos de renda fixa, da poupança, e influencia no valor das taxas bancárias. Para a próxima reunião, o Comitê “antevê um novo ajuste, de igual ou menor magnitude”.

CNI

A CNI (Confederação Nacional da Indústria) considerou “equivocada” a nova elevação da Selic. Em comunicado, a entidade afirmou que “este aumento adicional da taxa de juros no momento é desnecessário para o controle da inflação e trará custos adicionais à economia, como queda do consumo, da produção e do emprego”. Ainda, que “as altas realizadas neste ano resultaram em uma taxa básica de juros real ainda mais elevada e que já era suficiente para desacelerar a inflação nos meses seguintes”.

A íntegra do texto pode ser lida aqui.

Fontes: Banco Central, CNI, G1, UOL.

Em razão do feriado de Corpus Christi, não haverá expediente ASSINGRAFS-SINGRAFS nesta quinta-feira (16).

Na sexta (17), o atendimento será em esquema de plantão, das 8h às 17h.

Em maio, o índice de produção industrial brasileira subiu para 53,6 pontos, alta de 7,1 pontos em relação a abril (46,5 pontos). No mesmo período do ano passado, a marca era de 52,8 pontos. Os dados integram a Sondagem Industrial da CNI (Confederação Nacional da Indústria), divulgada nesta quarta-feira, (15), e mostram sinais de recuperação do setor.

O indicador de evolução do número de empregos no setor também registrou alta, atingindo 51 pontos. Anteriormente, foi de 49,5 pontos (+0,5 pontos). Por segmento, a produtividade da indústria de transformação cresceu 53,5 pontos, frente 46,2 em abril (+7,3 pontos).

Para junho, as expectativas dos empresários em relação a demanda (59,1 pontos, a maior pontuação desde setembro do ano passado), intenção de investimento (56,4 pontos) e número de empregados (53,4 pontos) tiveram aumento. Apenas o indicador de compras de matéria-prima diminuiu (de 57,4 pontos para 55,6 pontos).

A Sondagem coletou informações entre 1800 empresas, sendo 730 de pequeno porte, 631 de médio porte e 439 de grande porte. Saiba mais sobre os resultados aqui.

A partir de 20 de junho, o munícipe de Mauá poderá aderir ao Refis (Programa de Recuperação Fiscal) 2022 para regularizar dívidas. Entram no programa débitos envolvendo taxas, multas, IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza), entre outros.

A renegociação pode ser feita por pessoas físicas e jurídicas, com a oportunidade de desconto de até 100% de juros e multas para pagamento em até três vezes. Outras opções são de 80% de abatimento em seis parcelas, 70% em até 12 parcelas, e 50% de desconto para quem escolher quitar a dívida em até 24 vezes.

Os interessados deverão ir até a Central de Atendimento da Prefeitura de Mauá, das 8h às 17h. Haverá distribuição de senhas, com limite de 100 por dia. A lista de documentos (originais e cópias) solicitados pode ser verificada aqui. Mais informações pelo telefone (11) 4512-7500.

Fonte: Prefeitura de Mauá.