(11) 4438-8922

Os primeiros dois meses de 2019 registraram queda acentuada das vendas de livros no Brasil em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo o Painel das Vendas de Livros no Brasil, produzido pela SNEL (Sindicato Nacional das Editoras de Livros) e pela Nielsen, o faturamento teve variação de -18,81% e o volume computou -17,95%.

Em números, o valor acumulado de vendas passou de R$ 407.621.878,96 em 2018 para R$ 330.950.721,81 este ano; e o volume atingido diminuiu de 7.818.516 para 6.415,433.

Entre os gêneros, o que apresentou o pior resultado no faturamento foi o Infantil, Juvenil e Educacional. De acordo com a SNEL, “os títulos destinados ao público escolar sofreram uma queda de 43% em volume e 38% em valor”. A entidade atribui aos resultados negativos a crise das grandes livrarias, como Cultura e Saraiva, e a sazonalidade.

Sobre o preço médio adotado, os de Ficção foram os que ficaram mais caros – aumento de 9,43%. O valor passou de R$ 33,30 para R$ 36,44. O único gênero que teve redução no preço médio foi o Não Ficção Especialista, variando de R$ 72,52 para R$ 67,71 estudado (- 6,64%) no período.

Você pode conferir os resultados do Painel aqui. Lembrando que o comparativo foi entre janeiro-fevereiro/2018 e janeiro-fevereiro/2019.

A CNI (Confederação Nacional da Indústria) reduziu as estimativas de crescimento da economia e da indústria brasileiras para 2019. A entidade havia previsto, em dezembro, que o PIB (Produto Interno Bruto) aumentaria 2,7% este ano, e que o PIB Industrial teria alta de 3%. Atualmente, as projeções são de 2% e 1,1% para cada um deles, respectivamente.

As informações fazem parte do Informe Conjuntural da entidade, divulgado na última quinta-feira (11), e se referem ao primeiro trimestre deste ano.

O documento também traz dados sobre o consumo das famílias, que teria diminuído de 2,9% para 2,2% entre dezembro de 2018 a março de 2019. A taxa média de desemprego, segundo a CNI, tende a aumentar de 11,4% para 12%. O índice de crescimento dos investimentos também teve suas previsões reduzidas, de 6,5% para 4,9%.

No final de março, o Banco Central divulgou suas projeções de crescimento do PIB para 2019, de 2,4% para 2%. A queda foi impulsionada pelo resultado inferior ao esperado obtido no último trimestre de 2018. Saiba mais aqui.

Para ler a íntegra do Informe Conjuntural de janeiro-março, clique aqui.

A Ibema Papelcartão lançou, nesta semana, um e-book para falar sobre a principal matéria-prima da indústria gráfica. Em “Pequena História do Papel”, a empresa, em parceria com a M.Books Editora, busca oferecer uma “leitura simples, didática e surpreendente” para que o leitor possa aumentar seus conhecimentos sobre o material.

A publicação foi escrita pelo especialista em Design e Inteligência de Embalagem e Professor Fabio Mestriner.

Para garantir o seu e-book, basta realizar um cadastramento no site da Ibema. Após, o download da obra será liberado.

Atualizado às 9h02.

Moradores da Baixada Santista enfrentam dificuldades após as fortes chuvas que atingiram a região entre segunda (8) e terça-feira (9). Segundo informou o portal G1, pontos de alagamento foram registrados em bairros de Itanhém, Peruíbe e Mongaguá. São Vicente está sob estado de atenção e em Santos há previsão de maré alta.

A Prefeitura de Peruíbe informou que o nível de chuva registrado durante 84 horas foi de, em média, "mais de 300 milímetros em alguns pontos da cidade". Em Mongaguá, o índice pluviométrico chegou a 182 mm, "nove vezes mais" que o esperado para o período, segundo publicou a Administração local. 

Em Itanhaém, as aulas nas creches e escolas municipais foram suspensas nesta quarta-feira (10) em razão do temporal. A administração disponibilizou três números para contato com a Defesa Civil – 153, 156 e/ou 199 -, que está de prontidão para atender chamados de emergência.

A cidade de Cubatão completa, nesta terça-feira (9), 70 anos. A programação de aniversário terá caminhada ecológica, missa de ação de graças e apresentação musical gratuita do cantor Eduardo Costa, a partir das 14h no Kartódromo Municipal.

Os eventos que celebram a emancipação político-administrativa da cidade começaram no dia 4 de abril e contaram com torneios esportivos, shows com artistas da região e exposição de carros antigos. As atividades serão encerradas no dia 28, domingo, com a Meia Maratona Estrada Velha.

Para conferir a programação completa do aniversário de 70 anos de Cubatão, clique aqui.

Esta segunda-feira (8) marca o aniversário de 466 anos de fundação de Santo André. Na data, a cidade realizará o Jogo das Celebridades, partida de futebol beneficente envolvendo os times Amigos do Amaral e Campos de Paranapiacaba. A disputa será no Estádio Bruno José Daniel, a partir das 10h.

Quem estiver aproveitando o feriado municipal e quiser ver o jogo, poderá trocar produtos de higiene pessoal por um ingresso. Os itens arrecadados serão doados a entidades assistenciais andreenses.

As informações sobre o evento são da Prefeitura de Santo André

No aniversário de Santo André, a ASSINGRAFS e o SINGRAFS atenderão em esquema de plantão.

Neste 8 de abril, nosso expediente será das 8h às 17h.

A produção industrial brasileira subiu 0,7% no mês de fevereiro. O resultado positivo aparece mesmo com a drástica retração das indústrias extrativas (-14,8%), reflexo do rompimento da barragem em Brumadinho, Minas Gerais, no começo do ano. O baixo desempenho, em especial o da produção de minérios de ferro, é o pior desde a série histórica iniciada em 2002.

Os dados fazem parte da pesquisa Produção Industrial Mensal do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgada na última terça-feira (02). 

A alta da produção industrial nacional se deveu ao crescimento de 16 das 26 atividades econômicas analisadas na pesquisa. Os destaques ficaram com veículos automotores, reboques e carrocerias (6,7%), coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (4,3%) e produtos alimentícios (4,3%).

Outro fator que influenciou para o índice positivo foi o Carnaval ter sido transferido para o mês de março. Desta forma, fevereiro deste ano teve dois dias úteis a mais que em 2018.

No acumulado do ano (período de janeiro a fevereiro de 2019), a produção industrial brasileira teve queda de 0,2%. Na comparação com fevereiro de 2018, a taxa atingiu alta de 2%.

Para saber mais, clique aqui.

Relatório anual da OMC (Organização Mundial do Comércio) mostrou que o Brasil caiu da 26ª para a 27ª posição entre os maiores exportadores do mundo em 2018. O levantamento, segundo a Agência Brasil, foi divulgado na última terça (02) pela entidade internacional.

A maior exportadora mundial é a China, seguida por Estados Unidos e Alemanha. O país que ocupa, atualmente, o 26º lugar é o Vietnã. A última posição do ranking (30ª) ficou com a Indonésia.

A queda do Brasil aconteceu mesmo com alta no valor das exportações no período considerado pela OMC para o relatório. De acordo com a Agência Brasil, em 2018, os produtos brasileiros vendidos para o mercado internacional movimentaram US$ 239,5 bilhões (crescimento de 9,6% em relação a 2017). Já as importações totalizaram 181,2 bilhões, representando um aumento de 19,7%. Desta forma, o saldo da balança comercial no ano passado foi de US$ 58,3 bilhões.

A previsão da OMC para 2019 é que o comércio mundial cresça 2,6%, índice inferior ao percebido no ano anterior (3%).

A RR Donnelley Editora e Gráfica Ltda. anunciou na última segunda-feira (01) a decisão de entrar com pedido de autofalência e o encerramento de suas operações no País. A gráfica, sediada em Osasco, Grande São Paulo, era responsável pela impressão das provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e foi uma das vencedoras do 6º Prêmio Brasileiro de Excelência em Etiquetas e Rótulos Autoadesivos ABIEA, conforme divulgou em suas redes sociais.

De acordo com o jornal O Estado de S.Paulo, o pedido de autofalência pegou o mercado editorial de surpresa, já que a RR Donnelley não teria tentado resolver seus problemas por outros meios.

Entre os surpreendidos, destaca-se a editora Intrínseca. A empresa havia comprado 70 toneladas de papel para a impressão do novo livro de Mark Manson, o autor mais vendido no Brasil até o momento. Ainda segundo o Estadão, quando os caminhões chegaram à RR Donnelley na manhã de segunda-feira, encontraram os portões da gráfica fechados.

Em comunicado, a gráfica justificou a opção por encerrar as operações por causa das “atuais condições do mercado na indústria gráfica e editorial tradicional, que estão difíceis em toda parte, mas especialmente no Brasil”. Fundada em 1964 nos Estados Unidos, a RR Donnelley atuava no Brasil há 25 anos e chegou a ter um escritório comercial em São Bernardo do Campo, uma das cidades que compõem a base territorial do SINGRAFS, até 2014, onde vendia serviços gráficos.

Na manhã desta terça (02), funcionários da gráfica bloquearam a pista local da Rodovia Anhanguera, altura do km 18, para protestarem contra o pedido de falência. De acordo com a Rádio BandNews FM, os colaboradores disseram estar surpreendidos com a decisão.

Leia, abaixo, a íntegra do comunicado da RR Donnelley Editora e Gráfica Ltda.:

A RR Donnelley Editora e Gráfica Ltda. decidiu, após considerar todas as opções, encerrar sua operação no Brasil. Entre os fatores que levaram o grupo a tomar esta medida estão as atuais condições de mercado na indústria gráfica e editorial tradicional, que estão difíceis em toda parte, mas especialmente no Brasil. Recentemente, a RR Donnelley perdeu um de seus principais clientes e registrou uma drástica redução no volume de trabalho contratado.

O grupo operou no Brasil por mais de 25 anos. Mas, uma análise meticulosa das finanças da empresa motivou nossa decisão. O requerimento de autofalência da RRD será processado e decidido pelo foro da comarca de Osasco/SP.

Para minimizar o impacto da falência, a empresa entrará em contato com o sindicato e avaliará a possibilidade de rescindir todos os contratos de trabalho já nos próximos dias. Isso permitirá o pronto levantamento dos valores depositados nas contas vinculadas do FGTS e habilitará os funcionários a solicitarem o seguro-desemprego, na forma da lei.