(11) 4438-8922

Em razão do feriado municipal do Dia da Consciência Negra, a ser celebrado na próxima terça-feira, 20 de novembro, a ASSINGRAFS e o SINGRAFS atenderão em esquema de plantão na segunda (19).

Autor dos livros Incas venusianos (poesia), O médico das palavras (romance) e coautor de A história sob a terra (arqueologia), o jornalista e escritor Fabio Malavoglia fala nesta entrevista sobre os riscos do desaparecimento do livro físico   

fabio infografs

Fabio Malavoglia, 64 anos, paulistano, autor de três livros, apresentador do programa Rádio Metrópolis na Rádio Cultura FM, considera o fim das livrarias e dos livros físicos “um desastre da cultura, da civilização, do espírito”.

“Estamos vivendo a época da tecnobarbárie. É uma terra arrasada”, ele afirma.

Com sua voz grave e profunda de radialista, sob a proteção de milhares de obras, expostas nas prateleiras da acolhedora Livraria Nove Sete, na rua França Pinto, Vila Mariana, em São Paulo, Malavoglia faz um diagnóstico desses novos tempos sombrios. Leia a entrevista:

                Quando teve início seu amor pelos livros?

                FABIO MALAVOGLIA – Minha família é italiana. Fui criado entre livros. Fui e sou devedor dos livros. A palavra livro vem do latim liber, que é a parte mais interna da árvore. Livro é a rigor uma metáfora da nossa própria alma, aquilo que existe internamente em nós. Se você frequentar as livrarias com devoção, elas vão mudar a sua alma.

                Qual a importância dos livros para a humanidade?

                MALAVOGLIA – Há um livro na base de toda civilização. Os chineses têm o Tao Te Ching, os judeus e cristãos têm a Bíblia, os muçulmanos, o Corão. Nessa época de virtualização de tudo, a realidade material do livro está ameaçada. É um desastre para a cultura, para a civilização, para o espírito. Toda cultura procurou, ao longo dos séculos, materializar as ideias. O artista tem um sonho e corporifica em palavras, em escultura, em uma tela. O que a cultura digital faz é desmaterializar tudo. É um desastre que aponta para a dissolução.

                Mas com a digitalização isso não aumentaria nossa oferta?

                MALAVOGLIA – Não, porque você não tem mais escolha. A Netflix, por exemplo, que tem milhares de filmes para serem vistos... Quem determina a seleção da Netflix? São criados perfis virtuais que limitam as escolhas. Sem falar que a experiência do livro físico e do livro digital são completamente diversas.

                Como assim?

                MALAVOGLIA – O contato com o livro físico é próximo do aprofundamento, da contemplação, da meditação, do pensamento. O livro interioriza. Já o livro digital é diluidor, é voltado para o exterior. As alegadas vantagens da cultura digital sobre a física são ilusórias. As pessoas oscilam ao sabor dos trending topics, do twitter ou outra bobagem semelhante.

                O que vai ocorrer se o livro físico desaparecer?

                MALAVOGLIA – Essa é uma ameaça à cultura humanista, uma ameaça à nossa liberdade, à realização humana em seu sentido mais profundo. É um desastre que as livrarias estejam fechando e os livros físicos, rareando. É o quadro da tecnobarbárie. É uma terra arrasada.

                Há algum paralelo na história?

                MALAVOGLIA – O Império Romano ruiu diante das invasões bárbaras. O conhecimento, no entanto, foi preservado em mosteiros, em ilhas de cultura, lugares de abrigo no qual a tradição precisou ser resguardada para atravessar um período de escuridão e, posteriormente, dar à luz à Renascença. Estamos na mesma situação.

                A civilização está sendo invadida por novos bárbaros?

                MALAVOGLIA – As pessoas precisam acordar para o que está acontecendo. Os novos meios de comunicação criam formas de escravidão mental. Nenhum senhor de escravos do século 19 sequer teria imaginado algo semelhante. Você está no metrô, com 100 pessoas no vagão, e todas estão naquele estado de hipnose, grudadas, olhando para uma tela. Os tecnobárbaros querem ocupar a nossa alma. Os bárbaros também eram inimigos dos livros.

                A cultura digital emburrece?

                MALAVOGLIA – A cultura digital faz você ficar sabendo, aos pedaços, de mil coisas diferentes, mas não se aprofunda em nenhuma. Não chega à raiz. A cultura digital é ignorante. Ela determina esse nosso período de trevas. Precisamos manter nossa fé, coragem e firmeza, porque tem muita tempestade pela frente.

                O que pode ser feito?

                MALAVOGLIA - Precisamos criar bunkers de cultura. Todos podemos fazer algo seja pessoal ou profissionalmente. As livrarias são templos de nossa realização humanista. As bibliotecas devem ser preservadas. Necessitamos ter a veemência de fazer algo e transmitir essa necessidade aos nossos filhos.

Informamos que no dia 15 de novembro, quinta-feira, não haverá expediente na ASSINGRAFS e no SINGRAFS, em razão do feriado da Proclamação da República.

Na sexta (16), funcionaremos em esquema de plantão.

Caso precise nos contatar, acesse a área Contato/ Fale Conosco

A Ipsis Gráfica e Editora venceu a categoria Impressão, Eixo Livro, do 60º Prêmio Jabuti, com o título "Bruno Dunley". A cerimônia que revelou os ganhadores foi realizada no dia 8 de novembro, em São Paulo.

divulgacao ipsis facebookImagem: Divulgação Ipsis/Facebook

A empresa era finalista na categoria Impressão com outras duas obras: “Rubens Matuck: tudo é semente” e “Teatro Sesc Anchieta”.

Veja, neste link, os demais vencedores da edição 2018 do Prêmio Jabuti.

O boletim informativo Infografs, produzido pela ASSINGRAFS e pelo SINGRAFS, pode ser lido nas versões impressa e digital.

A versão física é enviada pelos Correios a associados, não associados, entidades do setor e parceiros. Junto com o informativo, será entregue a Revista Tecnologia Gráfica, produzida pela ABTG (Associação Brasileira de Tecnologia GRáfica).

Para conferir a versão digital, acesse a área "Infografs", no canto inferior da página principal deste site. 

O Gerente Regional de Vendas Inkjet da EFI para América Central e México, Javier Rodriguez, está entre os 25 executivos mais influentes do setor gráfico na América Latina. A colocação é fruto de pesquisa promovida pelo portal Notícias Gran Formato Latin America.

Rodriguez está há 16 anos na EFI e integra a área de comercialização de equipamentos para impressão digital em Grandes e Supergrandes Formatos.

A pesquisa foi respondida por cerca de 70 mil leitores e visitantes. Ela teve como base a trajetória profissional bem-sucedida dos participantes, as linhas de produtos atendidas, a relevância de sua imagem e projetos no mercado gráfico.

O Itaú Social abriu inscrições para o processo de seleção de livros infantis que integrarão, em 2019 e 2020, a campanha “Leia para uma Criança”. As editoras poderão submeter suas obras até às 18h da próxima quinta-feira (08).

De acordo com o Publishnews, as empresas precisam, primeiro, realizar um cadastramento no site da instituição bancária como Fornecedores e, depois, ir até o Prosas para cadastrar os títulos infantis. Até três livros poderão ser inscritos por CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica).

As obras precisam atender a alguns critérios: têm que ter texto e ilustrações (desde que não sejam desenhos estereotipados) e não podem ter, como finalidade, a didatização de conteúdo escolar. Você pode ler mais sobre os critérios na postagem da Publishnews.

Os títulos serão selecionados entre maio e junho de 2019, durante leilão virtual.

O projeto do banco Itaú já adquiriu 3,6 milhões de exemplares este ano e distribuiu 51 milhões de livros desde 2010.

Estão abertas as inscrições para a 28ª edição do FESPA Awards. Poderão concorrer profissionais da indústria de impressão e sinalização.

A premiação terá 14 categorias: Embalagem e Display sobre Papel e Cartão; Embalagem e Display sobre Plástico – Ponto de Compra; Pôsteres; Serigrafias e Fine Art; Decalques e Rótulos Impressos; Efeitos Especiais Criativos – Papel Cartão e Plásticos; Efeitos Especiais em Camisetas, Vestuários e Outros Têxteis; Vestuários Impressos; Têxtil Impresso Rolo a Rolo; Produtos de Madeira, Metal, Cerâmica e Vidro; Impressão Direta em Produtos em Três Dimensões; Sinalização Não Impressa; e Impressão Funcional.

Jovens entre 16 e 25 anos também poderão participar da categoria Prêmio Jovem Estrela.

O evento trará outros dois prêmios adicionais: Escolha do Público, com votação online, e Best in Show, a ser decidido pelos juízes.

Todas as inscrições pré-selecionadas serão apresentadas durante a FESPA Global Print Expo 2019. Os vencedores serão anunciados no Jantar de Gala 2019 no dia 15 de maio. Tanto a feira como o jantar serão sediados em Munique, Alemanha.

Para mais informações, acesse o site www.fespaawards.com (em inglês).

A Convenção Coletiva de Trabalho 2018-2019, assinada entre SINGRAFS e STIG Santos, São Vicente e Região, está disponível para acesso, na íntegra, neste site. 

Para consultá-la, basta ir até a área "Convenção".

Dúvidas? Entre em contato pelo telefone (11) 4438-8922.

Em 2011, a Lei nº 12.519 instituiu o 20 de novembro como Dia Nacional de Zumbi, em alusão à data do falecimento de Zumbi dos Palmares, e da Consciência Negra.

Algumas cidades paulistas incluem a efeméride em seus calendários de feriados.

Veja, a seguir, os municípios da base territorial do SINGRAFS onde o 20 de novembro é feriado municipal (ou se a data foi antecipada em razão do feriado da Proclamação da República [15]), ponto facultativo ou dia de expediente normal:

pesquisa 20 de novembro 2018